Quando te comprometes

Estou sem inspiração. Vou adiando a hora de abrir o computador para escrever. A um dado momento, eis que surge a voz da consciência sob forma do meu filho que, acercando-se de mim para perceber a minha angústia, na simplicidade tão características dos jovens, me disse: “é simples abres uma página em branco e começas a escrever. A mim, muitas vezes, também não me apetece estudar e tu dizes que tenho de o fazer. Agora escreve o que te vier à mente.”


Não estava muito bem-humorada pelo que, confesso, não achei grande piada – mas, no fundo, sabia que ele estava a ser o meu próprio reflexo. Respirei fundo, sorri-lhe, dei-lhe razão - estar aqui neste diálogo interior não leva a lado nenhum. Como não há nada como contrariar e começar agir – a escrita começou a fluir.


Quantas vezes deixamos de ter novas experiências porque preferimos ficar na zona de conforto? Criar novos hábitos e rotinas requer disciplina e compromisso connosco. Só assim poderemos melhorar-nos e obter resultados diferentes nas nossas vidas. Muito mais importante do que o produto final, é o fazer.


“Mais vale feito, do que perfeito” - uma frase que já ouvi várias vezes.

Enquadrado o tema, não pensem que se safam assim! (sorriso)

Deixo, também a vocês, um pequeno desafio para que, de uma forma simples e prática, assumam convosco um pequeno compromisso diário e, assim, aos poucos, se permitam fazer algo diferente no vosso dia-a-dia.


Para tal, proponho-vos um pequeno exercício que consiste em estarem conscientes da vossa respiração. Escolham um horário e comprometam-se em fazer - sempre à mesma hora - durante um determinado período de tempo de 21 dias.


RESPIRAÇÃO CONSCIENTE


O exercício consiste em estarmos presentes e atentos apenas e só ao nosso inspirar e expirar (respirar, de preferência, só pelo nariz). Façam-no durante 10 minutos na primeira semana e aumentem 5 minutos em cada semana seguinte.


As inspirações devem ser profundas - permitam que a expiração ocorra de forma suave e mais lenta que na inspiração, enquanto levam a vossa atenção ao ar a entrar e a sair do vosso corpo.


Observem e sintam como o vosso peito e abdómen se contraem e sintam como o vosso corpo se vai libertando das tensões acumuladas.


Quando estamos conscientes da nossa respiração, criamos algum espaço onde anteriormente existia um rol de pensamentos que não conseguimos travar e que muitas vezes se manifestam em cansaço físico e psicológico.


A nossa respiração normalmente é pouco profunda. Quanto mais conscientes estivermos da nossa respiração, mais a sua profundidade natural é restabelecida. Desta forma, forçamo-nos a entrar em contacto com o momento presente e isso traz espaço às nossas vidas.


Estarmos no presente constitui a chave para a nossa transformação interior.

Aceitas o desafio?


Se sim, partilhem comigo a vossa experiência e sentir.

Podem fazê-lo por mensagem privada via Facebook, email ou para o whatsapp (965231215)


E não se esqueçam: mais vale feito do que perfeito.


Desejo-vos uma excelente e maravilhosa semana.

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo