Os benefícios da Aceitação e do Perdão


A ACEITAÇÃO


A aceitação significa: por agora, é isto que esta situação e/ou este momento requerem - por isso vou fazê-lo de boa vontade. Ao fazermos algo num estado de aceitação, estamos em paz. Essa paz consiste numa vibração energética subtil que flui para aquilo que fazemos; é a consciência, que nos chega através da entrega à acção, da qual faz parte a aceitação.


Se não sentirmos satisfação ou aceitação no que estamos a fazer, o melhor a fazer é parar. Caso contrario, não estaremos a assumir a responsabilidade pela única coisa pela qual podemos assumir - que também é a única coisa que interessa: o nosso estado de consciência.


Sem assumimos a responsabilidade pelo nosso estado de consciência, não estamos a assumir a nossa responsabilidade pela vida.

Lembra-te que a cada momento fazes o que a tua consciência permite de acordo com o conhecimento adquirido até aquele momento. Só ao teres novas experiências consegues aumentar o teu conhecimento e a partir daí vais começar a fazer diferente. As experiências não são boas nem más, mas são o veículo para aprenderes novas formas de agir de acordo com o que considerares ser o melhor para ti. Se gostares da experiência, podes continuar alimentar essa energia; caso contrário, podes sempre corrigir e quando o fazes, aprendes - o teu conhecimento aumenta.


Só a partir da humildade por detrás da aceitação de que somos meros aprendizes da vida podemos conseguir uma transformação verdadeira e pessoal.



O PERDÃO


O processo de perdão é a própria aceitação da vida como ela é, com altos e baixos.

O auto perdão é a nossa capacidade de dizer adeus ao nosso passado, sem ficarmos mágoas e/ou com rancores. É aceitarmos que o passado, no momento presente, nada mais é que uma fantasia que já passou e faz parte integrante da nossa história e do nosso crescimento e valorização pessoal.


O auto perdão é um sim à nossa vida aqui e agora. É a renovação do Amor Próprio e da alegria de viver, é o agradecimento por sabermos que, mais importante que termos cometido erros, é estarmos vivos e presentes e ainda, sentirmo-nos gratos por todas as aprendizagens feitas até ao momento presente e com elas podermos ajudar os outros a crescerem e a evoluirem.


Perdoarmo-nos a nós mesmos exige uma completa honestidade e integridade. É um processo de reconhecermos a verdade, aprendermos com a experiência, aferirmos os sentimentos que motivaram o nosso comportamento e assumirmos a responsabilidade dos nosso actos.

Perdoarmos os outros no nosso processo é um acto de Amor por nós, pois como podemos vivenciar sozinhos? Já paraste para pensar na importância que cada um desempenha nas experiências que fazes?


Na realidade, todos desempenhamos papeis na vida uns dos outros. Sendo assim, se tudo e todos estão ao nosso serviço, porquê ficarmos presos em emoções que nos consomem e limitam? Cada um de nós faz o melhor que sabe a cada momento, mesmo que não gostemos. O que sentimos certo, cultivamos; o que não sentirmos, modificamos.


Ao conseguirmos compreender o papel que cada um de nós desempenha, a importância e o valor que acrescenta à nossa vida, fica mais fácil aceitar e perdoar atitude das pessoas que nos magoam. Mas lembra-te que também as nossas atitudes magoam os outros e muitas vezes nem é nossa intenção ferir, assim como muitas vezes o outro também não tem essa vontade, agindo de acordo com o que considera melhor para ele.


O perdão é a forma de provarmos a nós mesmos que as emoções negativas estão sob controle e que nós conhecemos o nosso potencial em conquistar novos caminhos e novas aprendizagens.


Ao desenvolvermos esta confiança em nós, libertamos a nossa mente dos acontecimentos desagradáveis, pois sabemos que tudo o que vivenciarmos faz parte de um processo de crescimento e valorização pessoais que, por sua vez, nos leva a saber compreender e entender os sentimentos, acções e reações das outras pessoas.


Perdoar é um acto de Amor, aceitação e compreensão de todo um processo.


46 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo