Onde há Sombra, há Luz

“A vida é um caminho de sombras e luzes. O importante é que se saiba vitalizar as sombras e aproveitar a Luz.” Henri Bergson


As resistências à escrita continuam, seja pelo tema que decidi abordar, seja porque continuo a ter de sair da minha zona de conforto. Vem o grilo falante que me sussurra: “é só esta semana”. A questão é que sei que se o fizer só esta vez, acabarei por voltar a fazê-lo vezes sem conta. E o objectivo é sair da zona de conforto para que ela fique maior e para isso tenho de estar atenta aos hábitos antigos que me levam à procrastinação e impedem de agir.


Quantos de vocês passam por situações similares neste momento? E assim vamos alimentando o nosso lado mais sombrio, aquele em que não nos damos valor e teimamos em não querer ver e muito menos iluminar. Mas se queremos resultados diferentes, temos de agir de forma diferente. E aqui estou a contrariar a procrastinação, a por mãos à obra e escrever um pouco sobre estas duas partes de nós (Luz e Sombra) que existem e que não são usadas de uma forma equilibrada.


Grande maioria das pessoas que chega até mim em busca de ajuda, queixa-se que se sentem profundamente tristes, deprimidas e que a vida não lhes faz qualquer sentido. Como é óbvio, ninguém gosta de se sentir assim e acabamos por resistir a essa emoção, não olhando para a questão frontalmente de forma a que a mesma seja solucionada e que a verdadeira causa seja encontrada. Quanto mais resistimos em olhar, mais intenso esse sentir vai estar, até nos levar à exaustão.


E porque nos sentimos tristes e deprimidos? Quando a tristeza se faz presente, significa que há uma parte de ti que estás a ignorar, que não estás a ver. Essa tristeza é uma chamada de atenção e uma oportunidade de te olhares e cuidares. Quando lhe resistes, a sua intensidade aumenta até ao dia que já não aguentas mais a dor e o sofrimento. Se a aprenderes a aceitar e a olhar para dentro dela, verás oportunidades e agirás em conformidade com o que é melhor para ti; entrarás em equilíbrio e aí vais experimentar a polaridade oposta: a Alegria.


Se só queremos experienciar as coisas boas da vida (Luz) e negamos tudo o resto (Sombra), estamos separados e desconectados do mundo. Se estivermos firmes na Luz, veremos sempre a nossa sombra e com esta percepção a Luz brilhante da consciência superior pode estar atenta ao sabotar da sombra.


A sombra, se for bem gerida, pode ser a nossa maior aliada.

A maior parte das pessoas sente culpa e vergonha quando confrontadas com a sua sombra. Quando a sentem, resistem e fecham-na a sete chaves. Esta atitude vai hostilizar o que necessita ser visto e desafiar a sombra a surgir quando é menos desejada.

O Universo em que vivemos é feito de opostos. Esta dualidade é o que impulsiona a evolução.


Ao tomarmos consciência da presença da sombra em nós e das condições que a podem agitar, podemos inverter as coisas. E como o podemos fazer? Perguntando a nós mesmos que dádivas a nossa sombra pode trazer-nos.


Esta simples atitude torna-nos menos críticos, não só de nós, da nossa sombra, mas também em relação a tudo e todos os que nos rodeiam, afasta-nos dos melodramas, das intrigas, do sensacionalismo associados ao julgamento dos outros. O resultado é a sobriedade que nos aproxima à nossa energia mais espiritual (Luz) e à identidade criativa existente em todos nós, dando um uso criativo à sombra. Quando conseguimos praticar este olhar atento sobre a nossa sombra, conseguimos sair das espirais de pensamentos ruidosos e assim descobrirmos o nosso verdadeiro potencial e vivemos uma vida mais harmoniosa com tudo e todos nossa volta.


Somos dias de Sol e Chuva, Somos Noite de breu e Lua eis a essência que nos traduz: Somos feitos de Sombra e Luz.”, Andra Valladares


E o que é a Luz em nós?

É aquela parte de nós que está isenta de ego, é a doçura, a delicadeza, pureza é o amor e divindade que habita em nós. É a consciência que tudo sabe e de tudo faz parte.


E o que é o nosso lado sombra?

É o lado mais obscuro e sombrio de cada um de nós. Ela contém tudo o que consideramos inferior/negativo, que queremos negar ou esconder. Será tudo o que é considerado fora dos padrões sociais, contrários à moral (desejos reprimidos, aspectos da personalidade menos aprovados pela sociedade, instintos animais).



Se ao leres este texto, sentires que queres olhar para a tua sombra e não o consegues fazer, não te critiques nem julgues. Permite-te fazer diferente, agenda uma consulta comigo, terei todo o gosto em viajar contigo até ao mais profundo do teu Ser para que lhe possas levar a tua Luz e assim poderes viver o teu potencial em pleno.


50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo