Dar e receber: há muito que saber

E se por detrás de um acto de generosidade e bondade está subtilmente escondida uma atitude egoísta que te coloca em desequilíbrio?


As pessoas generosas são boas em dar, em contribuir para um bem maior daqueles que as rodeiam, porém falham quando não se permitem receber a generosidade de volta, seja daqueles a quem deram o seu contributo ou de pessoas que simplesmente também são generosas e tenham o mesmo prazer - só porque sim.


Quando não nos permitimos receber estamos a tirar o prazer ao outro de, também ele, ter o mesmo gosto e satisfação que temos quando somos generosos e bondosos.

Estou certa que já perceberam e – por agora – já estão a remexer no vosso baú interno, criando identificações de vocês mesmos com uma destas personas ou de alguém – ou de alguma situação – que já observaram.


Enquanto tiram “os trapos” da vossa maleta – deixo mais um conto de Anthony de Mello que vai dar cor e contornos a estas minhas palavras.



O Santo Joneyed e o Barbeiro


Conta-se que um homem santo, de nome Joneyed, foi a Meca vestido como um mendigo.

Tendo a barba bastante comprida, procurou um barbeiro com o intuito de a arranjar. Entrou na única barbearia do lugar e o barbeiro, que se ocupava de um homem rico e poderoso, interrompeu de imediato o que estava a fazer deixando o seu cliente estupefacto e até um tanto indignado com tal atitude e desconsideração.


Fez a barba a Joneyed sem cobrar e ainda lhe deu uma esmola. Se o cliente rico ficou escandalizado, Joneyed ficou sensibilizado com o gesto gentil e amoroso do barbeiro, comprometendo-se a dar ao bom do barbeiro todas as esmolas que recebesse nesse dia. Um peregrino abastado, que havia feito uma promessa, deu um saco cheio de moedas de ouro a Joneyed que, sem demora, correu entusiasmado à barbearia para cumprir o que havia determinado.


O barbeiro, estupefacto e zangado, gritou com ele dizendo:

- Que homem santo és tu? Onde é que está a tua santidade? Não tem vergonha de querer pagar um serviço feito com amor?


Em conclusão, o Mestre Anthony de Mello pergunta: alguns têm dificuldade em saber dar e outros têm dificuldade em saber receber... quando foi a última vez que te permitiste receber?



Muita gente tem dificuldade em saber receber, seja um presente, um elogio, uma ajuda, etc… quantos de nós, em situações simples do dia a dia, como por exemplo a de ir tomar um café com um amigo que quer pagar o café, fica sem jeito? E quantos de nós remata, dizendo: pago o teu e o meu! Alguém se identifica neste pequeno gesto? Consegues identificar outros momentos como este? E que tal começares a agir diferente? Agradeceres e desfrutares da companhia e, numa oportunidade, que te seja possível retribui o gesto de generosidade.


Quando conseguimos ver no outro a capacidade de retornar o que recebe e de bom grado recebermos o que for possível, entramos na prática da lei do equilíbrio (dar e receber).


Após esta leitura, sentes que colocas em prática esta lei Universal?

O que achas que te impede de a praticares?


Se sentires que, através do meu trabalho, te posso ajudar a desbloquear e a identificar o que te bloqueia, agenda a aqui a tua consulta.

Boas reflexões e boas práticas da lei do equilíbrio.




57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo